Verminoses em cães

Verminoses em cães
Verminoses em cães

Para uma perfeita saúde de seus animais é indispensável uma rotina de visita ao Médico Veterinário. Um dos principais pontos a ser observado é a prevenção de doenças, realizada com a implantação de um bom programa de controle de doenças infecciosas, vermes e parasitas externos.

A verminose é um conjunto de várias doenças causadas por parasitas internos. As principais infestações ocorrem por vermes chatos, redondos e até mesmo protozoários. Esses parasitos podem colonizar diversos órgãos do animal, sendo que o intestino é local de maior presença.

Há diversos prejuízos para a qualidade de vida dos cães acometidos por verminoses. O grau de severidade é bastante variado podendo em quadros severos levar o animal a morte. Porém, os sintomas mais observados são apatia, diminuição do brilho dos pelos, olhar profundo, aumento do volume abdominal, diarreias e até mesmo a presença de vermes nas fezes.

Todos esses sintomas estão vinculados a verminoses, porém é possível que sejam encontrados em outras doenças. Por isso, vale reforçar que a melhor atitude é ter um acompanhamento veterinário para um correto diagnóstico do que está causando todos esses problemas em seu companheiro.

Outro assunto muito importante a ser tratado quando se fala em verminoses é o fato dessas doenças também acometerem o ser humano. Nesse caso trata-se de uma zoonose, ou seja, uma infestação parasitária capaz de transitar hora no corpo do animal hora no corpo das pessoas.

Assim, o quadro de verminose não é prejudicial somente para a saúde e bem estar dos animais. Essa preocupação é estendida também a sua família, sendo que as crianças correm maior risco por ter o hábito maior de levar a mão à boca. Por isso, a atenção à verminose deve ser redobrada, pois o cuidado com a saúde de seu animal também trás benefícios a saúde da sua família.

Mas como acontece a contaminação? Essencialmente o ciclo das principais verminoses inicia-se com um animal contaminado, que pode viver em contato com seu cão ou não. Imagina um ambiente em que há cães contaminados defecando, como na rua por exemplo. Quando você sai para um passeio, seu animal entra em contato com os vermes presentes nesse ambiente.

Esses parasitas podem adentrar para o organismo de seu animal tanto pela via oral, quando ele lambe suas patas ou até mesmo pela via cutânea, ou seja, através da pele. Nessa fase o verme encontra-se em estágio larval. Após adentrar o organismo do animal as larvas migram pelo corpo até o órgão que tem maior afinidade, onde se transformaram em adultos que produzirá muitos ovos. Esses sairão pelas fezes tendo a oportunidade de gerar um novo ciclo.

Vale lembrar que os filhotes recém-nascidos já podem nascer infestados. Pois há vermes que tem a capacidade de migrar através da placenta e contaminar os filhotes que ainda estão sendo gestados. Sem falar que esses vermes também podem ser transmitidos através do leite pela amamentação.

Se for reparar não há muito que fazer para evitar a contaminação por vermes, pois você não irá privar seu cão nem de sair para um passeio, nem mesmo de entrar em contato com outros cães. Por isso a melhor estratégia é a prevenção e o controle estratégico das verminoses.

Sempre requisite ao Médico Veterinário de seu cão um bom programa de controle de vermes. Ele é o profissional capacitado para lhe indicar o melhor medicamente a ser utilizado.

Alguns esquemas são bem tradicionais no controle das verminoses como:

  • Vermifugar filhotes a partir de 15 dias de idade, a cada duas semanas, durante os três primeiros meses de vida.
  • Vermifugar animais adultos de duas a três vezes por ano.
  • Fêmeas em reprodução 15 dias antes da cobertura e 15 dias antes do parto.

Nunca se esqueça que a boa saúde começa com a prevenção.